Diálogo Petista 59

 

AGRUPANDO E DISCUTINDO:

CRESCE APOIO À DECLARAÇÃO DE PRÉ-CANDIDATOS

Continuam chegando manifestações de apoio a Declaração de pré-candidatos do PT às eleições 2012. Nessa edição publicamos mais cinco depoimentos de aderentes do documento lançado pela Coordenação do Diálogo Petista

Declaração

FÁBIO BARROS, vereador e candidato à reeleição na cidade de Paulista (PE)

Como professor, ambientalista, petista e vereador, acredito nas lutas históricas de nosso partido e na defesa dessas bandeiras, que são a força do nosso ideal. Por isso, assino esta declaração com o compromisso de lutar pelas políticas públicas citadas no documento, prioritariamente, pela questão ambiental e aplicação plena da Lei do Piso Salarial Nacional para o magistério.

RODRIGO VALVERDE, advogado e pré-candidato à vereador em Mogi das Cruzes (SP)

Assinei a declaração e honrarei o meu compromisso de candidato petista. Acredito na capacidade do ser humano na construção desse mundo. Sei dos gigantescos obstáculos que o capitalismo nos impõe na construção desse mundo, mas dentre todas as instituições, tenho certeza que o PT é o único instrumento capaz de transpor estes difíceis obstáculos!
Conheço também as limitações de um mandato legislativo municipal, mas sei da infinita força do povo organizado.
Hoje como advogado já trabalho muito a questão da reforma agrária e os direitos sociais, ajudando muito a diminuir as desigualdades, a opressão e a exploração, como vereador aumentaremos a nossa ação contra os males do capitalismo!

PAULO MOTA, dirigente do PT da Bahia e pré-candidato à vereador do PT em Salvador


Assino a declaração porque concordo com o programa e tenho uma militância com os pés na luta social, socialista e revolucionária. Meu compromisso é com o Piso Salarial dos Professores, plano de carreira dos funcionários da prefeitura, com os estudantes pelo passe livre.

APARECIDO BIANCO, vereador e pré-candidato à reeleição em Sarandi (PR)

Minha atuação tem sido estar ao lado da classe trabalhadora no dia a dia de suas lutas, na fila de um pronto-socorro, em meio a uma enchente, na cobrança por asfalto e tantas outras situações em que nos obrigamos ir para o embate em favor dos trabalhadores. Minha vida enquanto militante ganhou força nessa caminhada.
Por isso me comprometo com a declaração dos pré-candidatos lançada pelo Diálogo Petista. Acredito numa sociedade igualitária, em que os povos irão se levantar contra o massacre que promove o capitalismo sobre a classe trabalhadora, é isso que me faz continuar na luta ajudando os trabalhadores e a juventude da minha cidade e região a lutarem pelo futuro que eles têm direito. É isso que me faz acordar todos os dias, é o que me faz viver.

ALFREDO PERES, militante do movimento popular e pré-candidato à vereador pelo PT de Sarandi (PR)

Apoio a declaração porque ela apresenta pontos que são a base de minha candidatura. Decidi ser candidato para ajudar os professores da minha cidade a conquistarem a integra da Lei do Piso Salarial, negada pelo prefeito do PDT.
Decidi ser candidato para oferecer outra política à juventude da minha cidade que esta sendo assassinada por causa das drogas, defendo a criação de Centros Poliesportivos e culturais para que a juventude tenha outra escolha que não seja as drogas. Decidi ser candidato a vereador pelo PT para combater as novas ameaça de privatização.


 

DEBATE COM OLÍVIO EM VÍDEO NA INTERNET

DebateOlivio2

Clique aqui para assistir


 

“O PARTIDO PRECISA SER

MAIS DEMOCRÁTICO”

Logo após a convenção municipal do PT de São Caetano do Sul, cidade do ABC paulista, no dia 24 de junho, ocorreu uma reunião do Diálogo Petista, com a participação dos companheiros Áureo, membro do diretório municipal PT, Rafael, diretor do Sindicato dos Trabalhadores do INSS (SP), Ricardo Jarrinha, metalúrgico da GM e pré-candidato a vereador, Paulo, militante do PT, Alessandro, membro da executiva municipal PT de São Caetano do Sul, e Julio Turra, da coordenação nacional do Diálogo Petista e membro da executiva nacional da CUT.

A reunião ocorreu no calor do debate sobre a coligação do PT de São Caetano. Na cidade, o PT tentou abrir mão da sua candidatura para ser vice de um candidato do PMDB, histórica liderança da oligarquia política local. A própria reunião do Diálogo Petista foi convocada por manifesto aos petistas da cidade que dizia: “Nós, militantes do PT, defendemos a candidatura própria do partido. A proposta de apoio e composição da chapa de Paulo Pinheiro (PMDB), político tradicional da elite da cidade, não corresponde em nada às necessidades dos trabalhadores, do povo e da juventude da cidade. O projeto do PT para a cidade deve ser outro. O PT não ter candidato próprio é um choque com sua base social histórica. É empurrar os petistas para ficarem em casa, frente a uma aliança desmoralizadora com o PMDB. É empurrar petistas para o divisionismo do PSOL na cidade, cujo política já se mostrou isolada”. A tentativa não deu certo e felizmente os petistas de São Caetano poderão votar no 13 nas eleições.

Na reunião, Júlio Turra abriu a discussão falando sobre a situação no mundo e no Brasil, mostrando os efeitos da crise capitalista para os trabalhadores no país. Falou da ingerên
cia de Lula no partido, desde Recife até São Paulo, o que resulta numa situação que ameaça o partido.

O companheiro Paulo, que já participou de um encontro nacional do Diálogo Petista, ressaltou a importância do espaço do DP para discussão de politica dentro do partido, “pois no diretório tudo sempre esteve voltado para campanha eleitoral“.

No mesmo sentido, falou o companheiro Alessandro, ressaltando o fato de que presidente do PT de São Caetano do Sul não abriu o dialogo nas instâncias partidárias sobre a coligação com o PMDB: “ele sempre apresentou as resoluções que elaborou com o grupo dele, não deu voz para quem pensava o contrario“.

Jarrinha fez uma fala apontando a importância de estar no PT e na CUT, o que facilita a militância e o contato com os trabalhadores na GM, e lembrou que “o partido precisa ser mais democrático“.

O Paulo e o Alessandro pediram para que continuemos a informá-los sobre os acontecimentos do Diálogo Petista e afirmaram a necessidade de buscarmos abrir um espaço para discussão e diálogo entre militantes e filiados petistas.

Rafael Monteiro