Rumo aos encontros estaduais do DAP

Prossegue o trabalho de organização do Diálogo e Ação Petista (DAP), que recebeu um forte impulso a partir do 7º Encontro Nacional do Diálogo e Ação Petista (ENDAP), realizado dias 7 e 8 de outubro, em São Paulo. As reuniões dos grupos de base ocorrem em vários estados e em alguns deles já estão mar­cados encontros estaduais.

Esse processo se dá numa conjuntura em que o PT é mais necessário do que nunca, como afirmava o Manifesto do ENDAP. Manifesto no qual o Diálogo e Ação Petista assume seu lugar na luta pela reconstrução do PT e faz “um chamado fraternal a todas as correntes, em particular a Construindo um Novo Brasil, maior corrente, para que tomemos em mãos as resoluções do 6º Congresso!”

O DAP está impulsionando no PT a defesa da candidatura Lula, contra a perseguição e ameaças de que é alvo, assim batalha pela saída política, aprovada por unanimidade no 6º Congresso do PT, que é Lula Presidente com Constituinte para revogar as medidas dos golpistas e fazer as reformas populares no país.

Nesta edição reportamos as atividades nos estados, com informações enviadas pelos nossos correspondentes. Leia aqui sobre a preparação dos Encontros Estaduais da Bahia e de São Paulo.


Bahia: Encontro Estadual será em 2 de dezembro

Diversos grupos de base do DAP baiano estão realizando reuniões onde os delegados e observadores ao ENDAP prestam contas do encontro.

salvador

Desde Salvador, passando pela região do Recôncavo e outros municípios, as reuniões debatem o Manifesto do 7º ENDAP e a organização local dos grupos, elegendo coordenadores e arrecadando o “cafezinho”.

A Comissão Provisória constituída por ocasião do Encontro Nacional em São Paulo, em outubro, prepara a realização do Encontro Estadual do DAP em Feira de Santana, no dia 2 de dezembro. Para debate de conjuntura estão confirmados José Sérgio Gabrielli ,ex-presidente da Petrobrás, e Markus Sokol, membro da Executiva Nacional do PT.

No dia 31 de outubro, ocorreu a reunião do grupo de base de Feira, com cerca de 30 presentes. Gerinaldo Costa, vice-presidente do PT Municipal, Vera Carneiro, secretária geral, Hildete Farias, secretária de mulheres, Daiane Santos, da executiva municipal, e Paulo Riela, secretário de formação do PT-BA, apresentaram os resultados do encontro e conduziram as discussões.

Houve contribuições importantes, como a de um professor que afirmou a necessidade da candidatura Lula para retomar direitos na educação e se dispôs a organizar um debate na escola em que trabalha sobre o significado da “escola sem partido”. Um jovem disse que deveríamos ir para alguns bairros, como onde mora, para dialogar com a juventude.

São Paulo: grupos de base atendem ao chamado

O Diálogo e Ação Petista de São Paulo fará seu encontro estadual no dia 26 de novembro, às 10 horas na sede estadual do PT.

reuniao DZ Guaianazes

Convocado pelos membros do DAP no Diretório Estadual do PT, a preparação do encontro já começa a envolver os grupos de base. Na capital paulista, por exemplo, várias reuniões já discutiram sua participação.

Em Guaianazes (zona leste de São Paulo), o grupo de base se reuniu no domingo, 3 de novembro, com 14 participantes. Depois da distribuição e leitura do Manifesto, foi aprovada uma atividade de coleta de adesões ao Projeto de Lei de Iniciativa Popular (PLIP), lançado pela CUT, pela anulação de contrarreforma trabalhista, em uma fábrica na cidade vizinha de Ferraz de Vasconcelos.

No Butantã (zona oeste), o DAP se reuniu com os delegados que estiveram presentes no Encontro Nacional onde foi apresentado e discutido o Manifesto. Ao final, também tiraram atividades de coleta de adesões ao PLIP em três escolas, onde participantes da reunião são professores. Foi aprovado também um debate sobre a contrarreforma trabalhista em uma uni­dade de Educação de Jovens e Adultos.

No Campo Limpo (zona sul), o DAP se reuniu com nove companheiros. No início da discussão foram retomadas as intervenções feitas pela presidente do PT Gleisi Hoffman e o deputado consti­tuinte venezuelano Ordoñez, presentes no ato de abertura do ENDAP, sobre a Constituinte.

Questões locais também entraram na pauta da reunião. Como os cortes feitos pelo prefeito Dória (PSDB) nos serviços públicos de saúde no bairro e a organização da resistência à tentativa de fechamento de uma unidade. Ao final, também foi organizada a luta pela anulação da contrarreforma e o grupo de base já realizou coleta de assinaturas no dia 10 de novembro.

O grupo do DAP Centro, também se engajou na luta ao redor do PLIP e decidiu propor ao Diretório Zonal a publicação de um boletim, divulgando o abaixo-assina­do, para envolver toda militância do PT do centro de São Paulo na batalha pela anulação da contrarreforma trabalhista.

Os grupos de base que já se reuniram e estão com reuniões marcadas irão se encontrar no dia 26 no encontro estadual paulista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s