Em defesa da Petrobras

Manifestação dos petroleiros na Câmara dos Deputados, no dia 23 de abril.

A Federação Única dos Petroleiros-FUP identificou corretamente as razões por trás da insidiosa campanha contra a Petrobras. Em editorial, a entidade afirma que o objetivo vai além dos interesses eleitorais da oposição e visa, na verdade, o patrimônio que a empresa representa, em particular as reservas do pré-sal.

Está claro que o que se pretende é flexibilizar ainda mais a exploração do petróleo brasileiro, escancarar as portas para o capital multinacional. O fim é a privatização da Petrobras.

Diante desse ataque, o PT não pode se omitir. A direção nacional do partido, corretamente, aprovou uma nota denunciando os motivos da campanha contra a Petrobras. É necessário agora tirar as conclusões práticas desse posicionamento. Junto com a FUP e com os sindicatos da categoria, com a CUT e sindicatos de trabalhadores, é preciso desencadear uma ampla campanha em defesa da Petrobras.

Petroleiros de vários estados do país fizeram no dia 23 de maio, na Câmara dos Deputados, um protesto contra a campanha de desmoralização da Petrobrás que tem sido promovida diuturnamente pelos veículos de comunicação e pelos partidos de oposição ao governo. Estudantes e movimentos sociais somaram-se à FUP e aos seus sindicatos em defesa da soberania e por uma Petrobrás pública e estatal, comprometida com os interesses nacionais.

A FUP aprovou a realização de atos em defesa da Petrobrás em todo o país. Já estão definidas as seguintes manifestações:

28/04 – ato em Recife, em frente ao prédio da Petrobrás em Boa Viagem (Center II)
28/04 – ato em Salvador, em frente ao Edifício Sede da Petrobrás (Ediba)
15/05 – ato no Rio de Janeiro, em frente ao Edifício Sede da Petrobrás (Edise)
21/05 – ato em São Paulo, em frente ao Edifício Sede da Petrobrás (Edisp)