Diálogo Petista Nº12 – 18 de agosto de 2009

ENTREGA À LULA DO ABAIXO-ASSINADO CONTRA AS DEMISSÕES

Com Portão (RS), agora são cinco Câmaras Municipais – com Santos (SP), Juiz de Fora (MG), Sarandi (PR) e Russas (CE) – que se dirigem a Lula pela Medida Provisória de Proibição de Demissões, ao lado de centenas de sindicalistas de diferentes centrais, lideres do MST e entidades populares, vereadores, deputados e senadores do PT, PCdoB, PSOL, PSB, PDT e outros partidos, e dirigentes do PT, PSOL e PSTU.

Há hoje 34 mil assinaturas no Abaixo-Assinado da campanha a ser entregue à Presidência da República na Audiência agendada pelo deputado federal Geraldo Magela (PT-DF), dia 26.

Este Ato de Entrega foi a principal decisão discutida no Encontro de Emergência, promovido pelo Fórum do Diálogo Petista, em maio, pois é em atividades como essa que o PT deveria centrar sua atenção. Como diz a convocatória tirada lá:

“Nada é mais urgente do que preservar o emprego dos trabalhadores. A cada mês, novos postos de trabalho são fechados e as estatísticas do desemprego aumentam. Não podemos nos enganar . Por isso, decidimos prosseguir em campanha chamando a mais ampla unidade, pois a manutenção dos empregos é uma questão que interessa a toda classe trabalhadora e à nação brasileira” (Luciene Binsfeld, Tudi, presidente da Contracs-CUT; Ivan Sales Pereira, diretor do Sintrafrio-RJ; Julio Turra, membro Executiva da CUT; José Vaz Parente, presidente da CNASI; José Cândido, deputado PT-SP; Telma de Souza, vereadora PT-Santos; Gilney Viana e Markus Sokol, membros do DN-PT).

A FIESP (a federação patronal paulista) acaba de divulgar um novo corte de 3,5 mil postos de trabalho em julho, acumulando 58 mil vagas a menos neste ano, que totalizam o fechamento de 199,5 mil em 12 meses, só em SP . O problema, portanto, está longe de estar resolvido: Lula tem uma responsabilidade!

Ponto de encontro do Ato de Entrega em Brasília


Data: 26 de agosto – Horário: 10:00 hs

Local: Espaço do Servidor

(Esplanada dos Ministérios, entre o Planejamento e a Agricultura)

Comitê amplo em Sarandi (PR)

DP 12-1_1No interior do Paraná, realizou no último dia 7, na Câmara de Vereadores de Sarandi, uma reunião de informação do Encontro de Emergência chamado pelo Fórum do Diálogo Petista em maio, onde participou uma delegação encabeçada pelo vereador do PT, Bianco.

Esta reunião contou com 16 companheiros, entre os quais um vereador do PT e uma sindicalista dos servidores da vizinha Paiçandu, assessores de dois vereadores do PT e do PCdoB de Maringá, e um jovem do PSTU, além de Bianco.

Discutiram a crise do capitalismo e suas conseqüências, apresentando-se números sobre as demissões nas empresas da região, “demissões que não param”, como lembrou Bianco.

Apresentado o Abaixo-Assinado pela MP, os presentes decidiram se empenhar para enviar uma delegação ao Ato de Entrega do dia 26.

Para isso e para continuar a coleta, a reunião decidiu formar um Comitê de campanha amplo com os diferentes setores presentes. Atividades de coleta ficaram marcadas, uma delas em 14 de agosto.

Comitê em Fortaleza

Eudes Baima, do Diretório do PT, e Luênia Aderaldo, sindicalista, delegados ao Encontro de Emergência, puxaram uma reunião no dia 12 que contou com 10 representantes do Sindicato dos Fazendários (SINTAF), dos Professores (SINDIUTE), dos Docentes da UECE (SINDUECE), dos Servidores Federais (SINTSEF), além de Roberto Luque da Executiva da CUT-CE.

A reunião constituiu um Comitê pela MP e iniciou consultas às entidades com vistas à delegação cearense ao dia 26 de agosto, da qual SINTSEF já decidiu participar , onde espera levar 3 mil assinaturas.

O Comitê que constituiu uma secretaria (Evaldo Varela e João de Deus, servidores da UFC, e Menta Osterno, Sindiute) e participa da Jornada unificada do dia 14 com faixa e banquinha, fechará a delegação em 18 de agosto.

Comitê Baiano

Entre as quatro mil assinaturas no Estado, está toda a direção da CUT Estadual encabeçada pelo presidente, Martiniano Costa, além do presidente estadual do PT, Jonas Paulo, do ex-ministro Waldir Pires, e do ex-candidato a prefeito pelo PSOL, Hilton Coelho.

Agora, os baianos do Diálogo Petista, trabalham para confirmar as presenças no Ato de Entrega de delegações da CUT-BA, SINDIFERRO, SINDPEC, SINDILIMP, SINDIMOTOTAXI, do Sindicato dos Instrutores, FENATRAD, Gráficos e CONTRACS.

Um Comitê Pela MP formado na Universidade Federal começou a arrecadar para enviar um representante. Do interior , confirma-se Josafá Mota do Diretório do PT de Juazeiro, em Itabuna um Comitê coleta assinaturas e fundos para participar , em Porto Seguro também começou a coleta, e do norte (Gloria e Rodelas) entraram assinaturas através da diretora do SINDPEC, Yalle Oliveira, que deverá ter representante.

Comitê em Recife

“Agora, quando começam a querer nos fazer crer que a crise, ou o pior dela, já passou, não podemos e não devemos baixar a guarda”, diz a convocatória da formação do Comitê Pela MP de Proibição das Demissões, dia 11, no Recife.

Entre os convocantes, Josean Espíndola, presidente do SindAT, e Edmilson Menezes, do Diretório Regional do PT-PE (que estiveram no Encontro de Emergência convocado pelo Diálogo Petista), além do deputado Fernando Nascimento (PT-PE), o Sintrajuf, a Associação dos Moradores da Vila Chico Mendes, Alexander Valença, da CUT-PE, Flávio Bastos, presidente do SindUPE, Bianca Lima, diretora do Simpere, e Margarete, do MTC.

Comitê Gaúcho

A pedido do vereador do PT João Pedro Gaspar , a Câmara Municipal de Portão (v. ao lado), no último dia 30, encaminhou ao presidente Lula uma moção pela “criação, em caráter emergencial pelo governo federal, de uma MP que impeça aos patrões demitirem”.

No Rio Grande do Sul, a delegação ao Ato de Entrega está sendo preparada com uma plenária do Comitê pela MP da cidade de Portão nesse dia 13.

Participarão uma dezena de sindicatos e entidades que estiveram integrados na base da campanha no Vale dos Sinos, uma região duramente castigada pela crise da indústria calçadista que se aprofundou no período.

Em Porto Alegre, uma reunião geral acontecerá no dia 15, com a participação dos aderentes à iniciativa.

Entres os delegados a Brasília, que levam problemas concretos da luta em defesa dos empregos em suas categorias e cidades, estão confirmados Moisés, dos coureiros de Portão, e Caldas, do papel e papelão, além do CPERS, CUT-RS, telefônicos e federação de metalúrgicos que são aguardados.