Deputados aprovam texto-base da reforma da Previdência apesar de protestos

Nesta sexta-feira (12) a Câmara dos Deputados vota os destaques do projeto da reforma da Previdência. Na última quarta-feira (10), quando o texto-base foi aprovado, a Central Única dos Trabalhadores e algumas Centrais Sindicais, movimentos populares e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizaram uma manifestação de repúdio.

O protesto reuniu cerca de 5 mil pessoas e marchou do vão livre do MASP até a frente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O objetivo era repudiar a votação que acontecia no Congresso Nacional.

Em Brasília (DF), 379 parlamentares alinhados com o governo Bolsonaro aprovaram o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição nº 06/2019, que diz respeito à reforma da Previdência Social. 131 parlamentares votaram contra a proposta, em defesa dos interesses da classe trabalhadora. Ainda falta uma outra votação em 2º turno na Câmara dos Deputados e, em seguida, a PEC 06/2019 segue para o Senado Federal.

O Diálogo e Ação Petista esteve na manifestação. João Gomes, o ‘Joãozinho’, militante do DAP São Paulo e secretário de Mobilização da CUT São Paulo, comentou a importância deste ato e da luta contra a reforma.

“Estamos aqui para fazer a luta contra a reforma da Previdência. O governo acelerou a votação na Câmara dos Deputados usando a velha política do ‘toma lá, dá cá’, liberando mais de R$ 2 bi de verbas parlamentares, sendo R$ 40 mi para cada deputado que votar contra um direito da classe trabalhadora, que é o direito a aposentadoria. Vamos continuar na resistência, construir outra Greve Geral  e barrar essa reforma”, declarou Joãozinho.

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: