Reelegemos Dilma, queremos as mudanças!

Encontro Nacional do Diálogo e Ação Petista reafirma luta pela Constituinte da Reforma política

Cento e dezenove delegados de 13 estados, eleitos em reuniões que somaram cerca de 900 militantes, realizaram em Brasília, nos dias 6 e 7 de dezembro, o maior encontro nacional já realizado pelo Diálogo e Ação Petista.

A discussão de dois dias culminou na aprovação de um “Manifesto aos Petistas, aos trabalhadores e jovens. Reelegemos Dilma, queremos as mudanças!” (leia a íntegra do Manifesto).

O Encontro recebeu mensagens de solidariedade, em particular do companheiro José Genoíno, ex-presidente nacional do PT, ainda cumprindo pena de prisão em função da farsa chamada AP-470. E contou com a presença do companheiro Jacir Afonso, da Executiva Nacional da CUT e militante da CNB, que dirigiu uma saudação aos delegados do DAP.

Os debates apontaram as possibilidades abertas pela atual situação política, mas também seus perigos, agravados pelas posições contraditórias assumidas tanto pelo governo Dilma quanto pela direção nacional do PT. Se, de um lado, Dilma recebe os resultados do plebiscito popular (quase 8 milhões de votos) e assume a proposta da Constituinte da Reforma Política, de outro as primeiras medidas de seu governo (alta dos juros, nomeação para o ministério de Joaquim Levy e Armando Monteiro, virtual indicação de Kátia Abreu) são incompatíveis com os anseios dos mais de 53 milhões que votaram contra o retrocesso, pelas mudanças esperadas pelo povo trabalhador. Da mesma forma, o PT, ao silenciar sobre essas questões, desarma os militantes e alimenta a descrença entre os trabalhadores

Defendemos o governo eleito “pela força e a alma da militância”, e cobramos deste governo que enverede pelo caminho das mudanças que o povo quer. Agir como o PT agia.

Para começar, é necessário aprofundar a luta pela Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político, agora centrada na exigência de aprovação do plebiscito oficial pelo Congresso. A campanha deve ir para as ruas, através de debates, audiências, manifestações. A posse de Dilma, no primeiro dia do ano, deve ser marcada por uma grandiosa manifestação pelas mudanças e pela Constituinte.

As reformas agrária, urbana, tributária, a democratização da mídia, a eliminação dos entulhos da ditadura militar são outras bandeiras que não podemos abandonar.

A Petrobras está no centro do debate político nacional e, mais uma vez, tentam com isso destruir o PT. É preciso afirmar, como faz a Federação Única dos Petroleiros-FUP: queremos investigar todas as denúncias de corrupção, mas esta se deve à terceirização da maior empresa brasileira. Queremos uma Petrobras 100% estatal!

Na sequência, publicaremos as demais resoluções do Encontro Nacional do Diálogo e Ação Petista, e também a relação dos nomes que compõem o novo Comitê Nacional do DAP.

Este slideshow necessita de JavaScript.