10 mil recebem Dilma em Curitiba, em clima de virada

Desde as 11 horas, milhares de pessoas se concentraram na praça Santos Andrade, em Curitiba, à espera da presidenta Dilma, que participava de um comício em Florianópolis com mais de 7 mil pessoas.

O sol e o calor de mais de 30 graus não abateram a militância, responsável pela maior manifestação dessa campanha eleitoral no Paraná: cerca de 10 mil participantes, que seguiram em passeata pelas ruas do centro da cidade até o comício com Dilma, na praça Generoso Marques.

O clima era de vitória. Não apenas pelo ânimo dos presentes, mas pelo apoio recebido até de turistas que, do alto das janelas de seu ônibus, acenaram e gritaram palavras de solidariedade. Ou pelos moradores e trabalhadores dos prédios vizinhos, que agitavam bandeiras “Dilma Presidente”.

A grande ausência foi dos militantes aecistas que, pelas redes sociais, anunciaram nos dias precedentes atos de vandalismo contra a manifestação da campanha Dilma. A força da massa varreu esses desclassificados.

O ato foi marcante por vários motivos. Primeiro, não havia cabos eleitorais pagos. Foram os militantes e apoiadores da candidatura Dilma que tomaram as ruas. E é só essa massa comprometida com as mudanças que poderá trazer a vitória. O sentimento geral era de festa, de companheirismo: os iguais se reconhecem.

Outro ponto a destacar foi a participação dos jovens. Este talvez seja o maior indicativo de uma virada neste segundo turno. Os jovens se voltam para a candidatura Dilma porque a cada dia fica mais claro o desastre que seria para o país o retrocesso representado por Aécio.

O Diálogo e Ação Petista marcou presença com uma grande faixa “Vote Dilma pela Constituinte da reforma política e por avanços sociais” e com adesivos próprios, que tiveram grande receptividade, notadamente dos jovens e de militantes históricos do PT, que buscam o caminho para agir como o PT agia.

Faixa Constituinte