Milhões de votos no Plebiscito: Dilma, convoque a Constituinte!

Enfrentando todas as dificuldades e boicotes, o Plebiscito Popular pela Constituinte da Reforma Política alcançou um resultado histórico: milhões de brasileiros e brasileiras votaram sim!, um sinal claro e poderoso de que o povo quer mudanças reais e perspectivas claras. O Plebiscito Popular ocorreu no momento em que a campanha eleitoral traz à tona, defendidas por candidatos representantes do grande capital, propostas de aprofundamento de ataques aos trabalhadores, como desemprego, diminuição dos salários e independência do Banco Central, um prato cheio para os banqueiros.

A mídia, o STF, os tucanos, Marina e o PMDB colocaram-se desde o ano passado contra o Plebiscito e a Constituinte. Era de se esperar. Mas também ficou contra o esquerdismo inconsequente do PSTU e outros. Além disso, ignorando o enorme potencial eleitoral e de luta do Plebiscito, muitos candidatos do PT deixaram de se envolver.

Contudo, organizado por centenas de entidades sindicais e populares, notadamente a CUT, MST e a militância do PT, o Plebiscito foi um êxito estrondoso. É a continuidade das manifestações de junho e julho do ano passado, num outro patamar: as massas expressam o anseio por reformas profundas, a começar pela do sistema político, mas avançando para as reformas agrária, urbana, tributária, para a reestatização das empresas privatizadas, o soterramento das heranças da ditadura militar e para a afirmação de que as imensas riquezas nacionais, principalmente o pré-sal, pertencem única e exclusivamente ao povo brasileiro.

A totalização dos milhões de votos do Plebiscito deve ser concluída nesta semana. Desde já, porém, o caminho é claro. O resultado será entregue aos três poderes, sendo que uma audiência para isso já foi solicitada à presidente Dilma. Isso significa: a vontade dos milhões que votaram no Plebiscito tem de ser respeitada. DILMA, NÃO HESITE, CONVOQUE A CONSTITUINTE!