Diálogo Petista 23 – 24 de junho 2010

 

DEPOIS DA REUNIÃO NACIONAL DO DIÁLOGO PETISTA

Mais de 40 companheiros de oito Estados (São Paulo, Mato Grosso, Bahia, Pernambuco, Ceará, Maranhão e Amazonas, além de Brasília), realizaram a Reunião Nacional do Diálogo Petista, em Brasília no próprio local da Convenção que homologou a candidatura de Dilma.

FotoREUNIAO

Além dos da foto, compareceram, entre outros, Renato Simões, da CEN, Sonia Santos, do MNU-SP, vereador Lúdio Cabral, de Cuiabá, e sindicalistas de várias categorias.

Agora, trata-se de, com base na Declaração (v. abaixo), organizar a volta em reuniões ou nas Convenções Estaduais.

Desta Reunião saiu um impulso na resistência à desfiguração do PT na luta contra a intervenção no Maranhão. O líder da bancada do PT, deputado Fernando Ferro, convidado para saudar o DP com sua adesão à Conferencia Mundial de Argel, acabou expressando seu desacordo com a intervenção. O ex-deputado estadual e sindicalista rural, Raimundo Dutra, apresentou a situação no Maranhão, deixando claro “não vou sair , não vou entregar o partido aos bandidos”, motivando a Campanha de Emergência “Suspensão da Intervenção” (v. box).

Numa situação difícil, os diretórios reduzindo na véspera as delegações, e com vários quadros engajados em atividades eleitorais, a ousadia de fazer a reunião na Convenção acabou permitindo sintonizar o Diálogo com o melhor da resistência no PT , e a discussão ainda deu conta de emendar a Declaração que será trabalhada como uma âncora comum na campanha eleitoral, e ampliar a adesão de novos candidatos que se aproximem “para fazermos juntos as campanhas por essas bandeiras”.

A reunião também discutiu o prosseguimento das Audiências Públicas do Petróleo (PL 531 da FUP), decidiu apoiar a Delegação que vem ao DF pedir a Lula a Revogação da Lei das OS’s, e começou a preparar uma nova jornada pela Retirada do Haiti em 10 de outubro, quando a ONU discutirá a renovação da Minustah.

Esse é um PT que ainda existe, como bem disse Manoel da Conceição em greve de fome, confrontado à afirmação de que "o PT pelo qual você está lutando não existe mais", respondeu "Para mim e todos os meus companheiros do Bico do Papagaio, existe sim"! (Valor 16/06/10).

 

“Suspensão da Intervenção no Maranhão!”

A intervenção provocou reações, como as delegações de solidariedade de 200 rurais da CUT, de grupos de funcionários do Incra, de jovens de Brasília etc., além da campanha relâmpago de moções chamada pelo Diálogo.

As mensagens vindas de diferentes Estados e estratos sociais expressam vários setores:

SOU CNB…

– “Olá companheiros, sou gaúcha, sou CNB. No último PED levamos 70% do partido (500 filiados) para votar (300) e deste número, 50% colocamos para CNB nacional.

Reunimos o grupo CNB aqui, debatemos a questão Maranhão. Por mais acordos que tenhamos com a podre família de Sarney, nada justifica intervenção sobre a decisão do Encontro. Somos contrários e estamos solidários com os petistas do Maranhão.

Abraço fraterno, Nílvia.”

DIRIGENTES SINDICAIS…

– "Pela suspensão da intervenção no PT do Maranhão.

Assinam: Bianca Lima, Eliane Gonçalves, Viviane Freitas, Edivani Souza, Mª das Graças Maurício, Carmenes Tavares, Valéria Uchôa – dirigentes sindicais do SIMPERE (Sindicato municipal dos profissionais de ensino do Recife).”

NA QUALIDADE DE FUNDADORA…

– “Companheiro José Dutra, na qualidade de fundadora e militante do PT (DZ Centro, SP) não posso deixar de me manifestar contra a intervenção no Maranhão. Roseana Sarney é usurpadora do poder . Ela, seu pai e outros golpistas contaram com o apoio do TSE e do STF , todos "honoráveis bandidos".

Portanto, espero que para defendermos o restinho de dignidade e honra do PT seja imediatamente suspensa a intervenção e que nossos companheiros de lá sejam tratados com a consideração e respeito que merecem.

Um abraço, Gilcéria.”

BANCADA DE VEREADORES…

– “Nós, vereadores do PT de Juiz de Fora, diante da intervenção no Maranhão, manifestamos nossa total solidariedade aos companheiros que se recusam a entregar nosso partido à família Sarney, representante do que há de mais retrógrado da oligarquia desse país.

Nos solidarizamos, respondendo ao documento distribuído na Convenção, assinado pelo deputado Domingos Dutra e Manoel da Conceição, líder camponês fundador histórico do PT.

Bancada do PT em Juiz de Fora-MG: vereadores Betão, Wanderson Castellar e Flávio Cheker”.

 

DECLARAÇÃO:

NAS ELEIÇÕES – VOTO PT, O ÚNICO CAMINHO!

O povo trabalhador de nosso país não quer a volta dos demo-tucanos privatistas. A luta dos trabalhadores naturalmente se dirige à candidata do PT, Dilma Roussef, de quem espera o compromisso com os seus interesses.

De nossa parte, reafirmamos nosso engajamento na vitória de Dilma do PT, contra Serra. Na luta pela emancipação do imperialismo e pelo socialismo, não há outro caminho!

O cenário mundial está marcado pela crise capitalista aberta em 2007 nos Estados Unidos. Ela atinge em cheio os países da Europa cujos governos querem despejar nas costas dos trabalhadores a fatura da falência dos Estados provocada pela doação de trilhões para salvar os bancos.

Aqui no Brasil, com suor e luta, obtivemos conquistas como o aumento real do salário mínimo e piso nacional dos professores, vagas nas universidades públicas.

Mas é igualmente verdade que o desemprego é alto, a rotatividade enorme e os salários baixos; a reforma agrária não anda, mas o agro-negócio acumula privilégios.

Na verdade, para erradicar a pobreza é necessário avançar e libertar a nação da herança de décadas de pagamento da dívida e de subordinação ao imperialismo.

Nesse sentido, o voto em Dilma e nos candidatos do PT nos Estados, como parte da luta por um verdadeiro governo do PT, é hoje de fato o único caminho para avançar com:

O Petróleo para a Petrobras 100% Estatal; Não privatização dos Correios; Reestatizar a Vale.

Reforma Agrária: atualização do índice de produtividade e limitação do tamanho da propriedade.

Jornada de 40h sem redução salarial; Fim do Fator Previdenciário.

Solidariedade ao Haiti com médicos, engenheiros e técnicos, e não com tropas.

Mas como avançar com o “acordo nacional com o PMDB”? Essa aliança amputa nossas bancadas e ameaça o próprio PT. É o que mostra a inaceitável imposição ao PT do Maranhão do apoio à Roseana Sarney (PMDB), representante da oligarquia latifundiária, e o apoio em Minas Gerais a Hélio Costa (PMDB), que q
uer privatizar os Correios.

É hora de defender o PT!

Dilma é a única que pode encabeçar um verdadeiro governo de mudança, com aliados, sim, mas aliados de forças comprometidas com as aspirações do povo brasileiro.

Para ganhar as eleições e avançar na construção de um Brasil livre e soberano, é preciso fazer ouvir a voz dos trabalhadores. Vamos fazer uma campanha conjunta dos candidatos com esse compromisso! Voto PT é o único caminho! (resumo)

Brasília, 13 de junho de 2010