Depois do 20 de novembro, preparar as lutas de 2022

Os atos de 20 de novembro puseram em evidência as lutas, reivindicações e anseios de 56% da população brasileira- os negros e negras, justamente a parcela mais atingida pela fome, miséria, desemprego; pelo coronavírus, pela violência policial, pelo preconceito.

As organizações do movimento negro assumiram a bandeira Fora Bolsonaro, o que expressa a consciência crescente de que com este governo não dá. Quanto antes der o fora, ou for obrigado a dar o fora, melhor.

Numa situação de crise profunda, em todos os terrenos (econômico, social, político, sanitário, o que pode ser resumido numa aguda crise institucional), é certo que as lutas vão continuar no próximo ano.

São as lutas pelas reivindicações concretas, comida na mesa, emprego, moradia, segurança. São essas reivindicações que fornecerão o combustível para alimentar o combate para por um fim a este governo.


DAP na luta

O DAP participou e continuará participando ativamente das luta do povo negro, como do conjunto da classe trabalhadora e do povo oprimido.

Fim do genocídio dos jovens negros, fim da discriminação em todos os níveis!

Na luta contra o governo Bolsonaro, é preciso abrir uma perspectiva política de saída dessa situação. Não é possível acabar com o genocídio da população negra sem mudanças profundas no país.

É para este debate que chamamos todos, para retomar a luta, com ânimo renovado, em 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: