“Os trabalhadores esperam que alguém lhes aponte uma saída”

Nesta quinta-feira (18), militantes do PT da região central da capital paulista coletaram adesões ao Projeto de Lei da Testagem numa banquinha em frente à UBS Santa Cecília, na região central de São Paulo. O abaixo-assinado teve grande adesão popular, chegando a formar fila para as assinaturas, tamanha a quantidade de apoiadores.

  • trabalhadores da limpeza assinam
  • Gege coleta adesão ao PL

Lideranças presentes

A atividade foi organizada pelo grupo de base do Diálogo e Ação Petista do centro. Participaram também lideranças como Gegê, da Central de Movimentos Populares, e o companheiro João de Souza, o Jony, do Movimento Negro, além do ex-candidato a vereador Garry Delarus. Nas farmácias da região foram vistos anúncios cobrando R$ 99 no teste, preço que é inviável para a maioria dos trabalhadores, como disse Babi Corrales, da Executiva Municipal do PT e da coordenação municipal do DAP “a campanha do PL da Testagem gratuita pelo SUS é justamente para que o trabalhador e sua família não tenham de passar por isso”, ao mostrar a foto da cobrança da referida farmácia.

“O teste hoje é um instrumento que o trabalhador e a trabalhadora não têm dinheiro para pagar. Por isso a necessidade da testagem em massa, já”, afirmou o companheiro Gegê.

“Lá em Guarulhos, no galpão da Anvisa, tem milhares de testes mofando sem ser remetidos aos estados e municípios, então é fundamental que a população exija seu direito à testagem. À parte da testagem, temos que vacinar todos e todas, então é fundamental que os conselheiros (da saúde) em toda a cidade incorporem essa ideia de apoiar esse projeto para a testagem em massa da população de São Paulo“, disse o companheiro Jony.

Muito interesse dos trabalhadores

Em uma hora de atividade, foram colhidas certa de 70 assinaturas de adesão ao PL da Testagem. Ressalta-se o interesse das trabalhadoras e trabalhadores usuários dessa unidade de saúde, pois é a vida deles que está em jogo. São obrigados a trabalharem, seja para não morrerem de fome, seja por exigência das empresas, como disse um trabalhador da limpeza: “estamos na rua todos os dias recolhendo o lixo, talvez contaminado, mas não temos prioridade para a vacina e nem somos testados”. Muitos também comentaram o apoio ao Fora Bolsonaro.

Osvaldo Schiavinato, membro do Setorial de Direitos Humanos do PT – um dos organizadores, avaliou a atividade como positiva: “a percepção que tivemos é que os trabalhadores esperam que alguém lhes aponte uma saída da situação atual. Esse deve ser o papel do PT”.

A luta continua

Seguiremos na luta pela aprovação do PL da Testagem para que a população possa ter mais tranquilidade no trabalho e na volta às aulas. Só com testagem em massa e periódica e rastreio será possível nos deslocarmos com mais segurança sanitária pela cidade e ajudar a controlar os focos de contaminação da pandemia. A testagem é uma medida complementar à vacinação, que segue a “conta-gotas” pois o governo negacionista de Bolsonaro não organizou uma campanha nacional de vacinação . Em defesa da vida, esse governo genocida tem que acabar! O quanto antes, melhor!


Leia também:

Folha de São Paulo: Propagação da Covid-19 no Brasil foi intencional

user

Diálogo e Ação Petista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *