Trabalhadores da Lorenzetti aderem ao PL da Testagem em SP

Na última sexta (12), o recém formado grupo de base do DAP Mooca, com apoio de companheiros da Brasilândia e do Centro, fez uma banca de coleta de adesões ao Projeto de Lei pela Testagem em Massa da COVID-19 na capital paulista. A atividade foi realizada na porta da fábrica Lorenzetti, localizada no bairro da Mooca, na região central da cidade. A discussão “pegou”: mais de 70 assinaram e uma trabalhadora trouxe denúncia da morte de colegas.

Intervenções com som

Nas intervenções feitas no som para os trabalhadores da fábrica, foi dito que embora muito se fale em “lockdown”, a maioria dos trabalhadores em especial das fábricas não param de trabalhar. Eles tem que pegar o ônibus e o trem lotado para chegar ao trabalho todos os dias. Foi dito também que em muitas outras fábricas não há afastamento remunerado de trabalhadores com sintomas e às vezes nem testagem por conta da fábrica e/ou do governo.

Trabalhadores denunciam

A discussão encontrou eco entre os trabalhadores. Mais de 70 assinaram o abaixo-assinado do Projeto de Lei. Uma trabalhadora relatou que já haviam falecido por covid-19 dois operários da fábrica, além de um terceiro estava internado em estado grave. Ela revelou que a Lorenzetti não afasta os trabalhadores que estão com sintomas, só os encaminha para fazer um teste rápido em uma farmácia próxima à fábrica e depois voltam para fábrica para trabalhar.

Os problemas relatados pela operária da Lorenzetti mostram que a testagem em massa – com testes de qualidade, gratuitos, de tipo PCR – é fundamental para proteger a saúde do trabalhador e evitar maior contaminação nos locais de trabalho. Daí a importância de ampliar a coleta de adesões ao PL da Testagem em Massa.

O companheiro Adilson Souza, presente na atividade concluiu: “Não podemos encurralar a população em casa sem saber a real situacao de TODA a população, que se não morrer de fome, vai morrer de coronavírus. Essa é a situação do governo Bolsonaro, Dória e do Bruno Covas”.

O resultado empolgou os petistas do DAP Mooca, que já pretendem organizar um panfleto para as próximas atividades nas estações de trem e metrô da região. Cristiano Flexa, um dos organizadores da atividade, avaliou: “quando começamos a falar no som, eu senti uma grande receptividade dos trabalhadores, de que o ‘lockdown’ não fecha as fábricas. Foi interessante e importante para gente ver como é uma realidade isso mesmo, né?! Foi muito positivo”

user

Diálogo e Ação Petista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: