Diálogo Petista 32

ABRIL VEM AÍ! ENCONTRO SERÁ DIA 2 NA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO!

Já são doze Estados que efetivamente prepararam, através de Plenárias Estaduais ainda em dezembro passado, o próximo Encontro Nacional do Diálogo Petista em 2 de Abril.

Abaixo, Santa Catarina, Bahia e Minas Gerais, além do Paraná, se juntam a São Paulo, Ceará, Pernambuco, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Alagoas. Nesses e noutros Estados que ainda se juntarão as reuniões com militantes, sindicalistas e parlamentares desembocam em iniciativas práticas.

31 anos

No momento em que boa parte da estrutura do PT está absorvida numa “disputa” na coligação, as decisões adotadas no Diálogo, na verdade, confrontam o PT às suas tarefas mais urgentes como partido que nasceu para defender os trabalhadores – é esse PT que comemora 31 anos no próximo dia 10 de fevereiro.

Motivação que leva os companheiros a atravessar fevereiro e março apresentando a proposta em novas reuniões locais, e reunindo os recursos para viabilizar amplas delegações a São Paulo.


SC: Diálogo estimula luta contra OS’s

clip_image002

28 petistas de várias cidades de S. Catarina realizaram uma plenária do Diálogo no dia 11 de dezembro, em Florianópolis, no auditório do Sintespe.

Na mesa, os vereadores Vanderlei de Oliveira, de Blumenau, e Antônio Luiz Battisti, de São José, além de Adriano, diretor do Sindipetro PR/SC, e Anísio G. Homem, como coordenador (enviaram saudações o deputado federal Pedro Uczai e o vereador Professor Vieira de Itapema).

Adriano ressaltou a importância da luta em defesa da Petrobrás e do pré-sal e salientou a necessidade dos petistas no movimento sindical organizarem uma grande marcha à Brasília pela aprovação da jornada de trabalho de 40 horas.

Para o vereador Vanderlei, um dos problemas do governo Dilma será o choque de interesses, pois “uma parte do governo não vai assumir as políticas públicas”.

O vereador Battisti, por sua vez, destacou a luta contra as OS’s, linha do novo governo estadual do DEM para a saúde, e denunciou a entrevista do deputado Vaccareza à revista Veja propondo a retirada de direitos trabalhistas.

Do plenário, veio a necessidade de rejeitar a política nacional de alianças e reforçar no Estado a oposição efetiva ao governo do DEM. Para Rosângela (Lelê), da Executiva Estadual do PT , “foi através da discussão entre petistas de diversas tendências, preocupados em combater a privatização da saúde pelas OS’s, que se conseguiu aprovar por unanimidade uma resolução no Diretório Estadual orientando os petistas do Estado a lutar contra as OS’s”.

Ela ajudou a ampla solidariedade com as lutas travadas em Caçador e São José contra a implantação de OS’s nos serviços municipais de saúde – em ambas as cidades com prefeitos do PSDB e do PSB, respectivamente, a pressão popular fez as Câmaras de Vereadores rejeitarem os seus projetos.

Ao final da plenária todos se comprometeram com uma ampla delegação ao 3º Encontro Nacional do Diálogo. Foi ainda adotada uma carta à Executiva Estadual questionando a entrada do PT no governo do PSB em São José.


Salvador (BA): Iniciativa por “educação, segurança, saúde”

A situação do PT pós-eleição de Dilma foi discutida na reunião do Fórum de Diálogo, em Salvador, no dia 9 de dezembro.

Entre os 13 petistas presentes, Adilson de Jesus (do DM de Terra Nova) destacou que é o momento do partido voltar à periferia e não se afastar da base, como fazem alguns políticos após a eleição. Outro companheiro lembrou “contradições nunca vistas na história: petistas históricos mudaram de opinião quando assumiram cargos num estado falido. Então precisamos de um ‘fórum petista não governamental’, continuamos petistas, nesse fórum vamos ter coragem!”.

Quando foi citada a carta a Dilma mandatando os delegados brasileiros à Conferencia de Argel pela retirada das tropas do Haiti, um militante registrou: “pensei na polícia no meu bairro que tem uma ação desordenada, bate para depois perguntar quem é; o bairro da Paz luta por uma escola estadual, só tem um posto de saúde e não tem quadra, mas o Estado quando entra é com a polícia. Estamos no Haiti lá! A minha inquietação é construir de forma coletiva para resolver a situação e não ficar maquiando os petistas”.

Com esse espírito de cobrar as mudanças necessárias num governo do PT, ficou decidido somar-se à decisão dos petistas que, por consenso no Congresso Estadual do PT de junho, decidiram dirigir-se ao governador Jaques Wagner (PT) para que assuma o compromisso de por fim às terceirizações, as Os’s e as PPP’s que precarizam os serviços públicos. A iniciativa, agora com abaixo-assinado, pede para ampliar a realização de concursos públicos e a destinação dos recursos do Estado para construir escolas, creches, postas de saúde e áreas de lazer. Todas medidas possíveis, e que ajudariam a combater o tráfico de drogas.

Nova reunião planejará os próximos passos da iniciativa, e preparará a delegação ao Encontro Nacional de abril.


Reunião em Juiz de Fora (MG)

clip_image004

18 petistas, sindicalistas e lideranças comunitárias, participaram de reunião (1/12/10), ansiosos por debater o rumo do PT após a eleição de Dilma – o que aproxima militantes de origens diversas é o sentimento de que a vitória aumenta a necessidade de lutar pelas reivindicações.

Reginaldo de Freitas, diretor do Sindicato dos Correios, por exemplo, afirmou que “a Dilma não venceu por ser apoiada pelo Lula, foi a militância mobilizada que deu vitória ao PT”, e “agora cabe a classe trabalhadora manter-se mobilizada para cobrar, pois haverá pressão não apenas da oposição, mas também de aliados como o PMDB que já obrigou Dilma a retirar de seu programa a redução da jornada para 40 horas”.

Marola, da APM do bairro Sagrado Coração, avaliou que “a eleição da Dilma ainda não foi a vitória, a vitória será quando começar a atender as reivindicações”.

Os petistas também demonstraram disposição para enfrentar o prefeito do PSDB: a primeira atividade adotada foi apoiar uma mobilização contra um novo aumento no IPTU (600% em 2010).