O Tribunal de Haia pronunciou o seu veredito

Veja abaixo a avaliação de Awad Abdelfattah, coordenador da Campanha Por Um Único Estado Democrático.

O Tribunal Internacional de Justiça, em Haia (Holanda), confirmou que é “plausível” a acusação feita pela África do Sul com base na Convenção Internacional sobre o Genocídio, segundo a qual “Israel cometeu, comete e pode continuar a cometer atos genocidas contra o povo palestino em Gaza”.

O Tribunal também decidiu que Israel deve “tomar todas as medidas” para evitar atos de genocídio em Gaza. Conhecemos a resposta de Netanyahu, imediatamente confirmada pelos dirigentes estadunidenses, com a cumplicidade daqueles que reconhecem “o direito de Israel se defender”.

Awad Abdelfattah, coordenador da Campanha por um Único Estado Democrático, diz que os palestinos estavam “todos esperando uma decisão do Tribunal Internacional de Justiça para um cessar-fogo imediato e para pôr fim à guerra genocida sionista, e fim ao extermínio de crianças e mulheres”. No entanto, considera que “as medidas provisórias decididas pelo tribunal incluem uma cessação prática da guerra, como dizem os juristas”, e que esta é “sem dúvida uma decisão histórica, com Israel sendo responsabilizado pela primeira vez na sua história”.

Awad Abdelfattah continua: “Esta decisão constitui um passo importante na via da rejeição dessa entidade agressiva, da redução de sua capacidade assassina. A batalha pela libertação do nosso povo faz agora parte da batalha pela libertação mundial e pela justiça universal. Uma batalha contra uma ordem mundial escandalosa, liderada pelo império do mal estadunidense.”

F.L., Informações Ouvrieres, 1 de fevereiro de 2024

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: