Não a Alckmin! Não è federação com o PSB

Neste início de 2022, além da crise que continua e se aprofunda (econômica, social, política, institucional), duas questões dizem respeito particularmente ao PT e, consequentemente, ao Diálogo e Ação Petista: a busca, por Lula e a cla do PT, de Alckmin como vive do próprio Lula nas eleições presidenciais deste ano; e a proposta de federação partidária com o PSB, sobre a qual o Diretório Nacional do PT pretende bater o martelo em sua reunião no final deste mês ou início do próximo, sem nenhuma discussão aprofundada com a base do partido.

É inaceitável!. Alckmin na vice, candidato a um novo Temer (como esquecer?), significa a aliança com um inimigo dos trabalhadores, o que já provou à farta como governador de São Paulo por vários mandatos; e a federação vincula o PT por pelo menos quatro anos ao PSB, em vários estados direitista: um mesmo estatuto, mesmo programa, direção e finanças.

Mas ainda é tempo de barrar Alckmin e a federação. Na base do partido, há resistência, que tende a crescer. O DAP põe-se à frente dessa resistência e chama todos os militantes  para a defesa do PT, de sua independência, de sua história.

Republicamos abaixo a moção, de iniciativa do DAP, contra a federação com o PSB.

Alerta! Não à Federação do PT com o PSB!

            A Executiva Nacional do PT encaminhou uma proposta do PSB de formação de uma federação partidária englobando o PCdoB e outros partidos, em “consultas” com o TSE. A proposta está sendo defendida na imprensa por parlamentares do PT.

            O Comitê Nacional do DAP, reunido em 30 de novembro, adotou posição frontalmente contrária à entrada do PT nessa federação. A lei adotada, em setembro, vincula os partidos componentes da “agremiação partidária” por um mínimo de 4 anos, desde os senadores e deputados federais, até os deputados estaduais e vereadores. A penalidade para quem sair da “agremiação” é a perda do Fundo Partidário e do tempo de rádio e TV por 8 anos. Luis Barroso, o presidente lavajatista do TSE, quer regulamentar até março (prazo máximo para esta eleição), a federação com estatuto, programa, direção e finanças.

            O que vai ser do partido daqui a quatro anos?

            O entusiasmo de membros da cúpula do PT com a proposta – é a “governabilidade de Lula presidente” ou é a “frente de esquerda” – é totalmente irresponsável com a base do partido que não será consultada. A ameaça concreta dessa federação é de aprisionar o PT numa camisa-de-força.

            Sim, o sistema político do país está podre. Sob Bolsonaro, após 5 anos de “estado de exceção”, as instituições estão em frangalhos. Somos a favor de uma profunda reforma política, mas com consulta ao povo. Da nossa parte, defendemos uma Assembleia Constituinte Soberana e um novo governo com Lula Presidente. Mas não concordamos que o TSE extrapole seu mandato e atropele o Congresso Nacional em “consultas” à cúpulas partidárias.

           E, principalmente, somos contrários a que o PT embarque nessa aventura de federação com o PSB de Beto Albuquerque (RS), Marcio França (SP) e Júlio Delgado (MG), com ou sem o famigerado ex-governador Alckmin (SP), como aventa a imprensa! Alckmin. Que alguns do PT querem como vice de Lula, candidato a ser um novo Temer!

          “Lula saiu da cadeia anti-imperialista” (Fernando de Morais). Pois, justamente, somos a favor de uma frente com programa anti-imperialista com o PSOL, o PCdoB e os setores democráticos e populares do PSB, PDT e outros. Para reconstruir o que foi destruído e fazer as reformas que não foram feitas.

           A discussão está aberta. Todos os filiados – diretórios, setoriais, parlamentares, quadros e dirigentes – devem se pronunciar antes que seja tarde, a CEN se reúne dia 10 e o DN dia 16.

          Em defesa do PT, não à Federação com o PSB!

One thought on “Não a Alckmin! Não è federação com o PSB

  • 11 de janeiro de 2022 em 11:07
    Permalink

    O DAP Ituiutaba MG reunirá para discutir a nível local e tirarmos nossa posição estou contemplado com a posição do camarada Júlio Turra e do companheiro Valter Pomar (AE).

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *