Contra a privatização da Comcap, ato reúne milhares em Florianópolis

Em Florianópolis houve neste domingo (31) ato em defesa da COMCAP pública. O ato reuniu mais de 3 mil pessoas. Os trabalhadores desta autarquia municipal de limpeza urbana estão em greve há 13 dias, liderados pelo seu sindicato SINTRASEM/CUT, cujo presidente, Renê Munaro, sofreu durante a semana um atentado. Renê e os trabalhadores da Comcap receberam moção de solidariedade internacional.

Ato em defesa da COMCAP de 31/011

O ato

Sob forte calor na manhã deste domingo (31), depois de uma tentativa da PM de impedir o percurso, a manifestação percorreu várias vias da cidade, até o pátio principal da empresa.

Histórico

O prefeito reeleito, Gean Loureiro (DEM), enviou no dia 15 um projeto de lei que retira direitos como horas extras, e abre para a terceirização dos serviços de limpeza urbana (com contratações com salários menores). A Câmara de Florianópolis aprovou com apenas 1 voto a mais que o mínimo, em sessão extraordinária, no último dia 27. A partir de então a prefeitura acionou a justiça, que autorizou práticas antissindicais brutais, para tentar desarticular a greve.

Justiça ataca a greve

O Sintrasem, sindicato da categoria, teve multa estabelecida em 300.000 mil por dia, contas bloqueadas e sigilo bancário quebrado. O mesmo procedimento foi estendido ao presidente do sindicato, Renê Munaro, e a outros diretores da entidade.

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina ainda aprovou que o Executivo a demitir os servidores que não retornarem ao trabalho. A imprensa divulgou que a prefeitura deu 72 horas para iniciar as demissões. Por isso, a força do ato deste domingo é muito importante, demonstrando que a vontade dos servidores é a vontade da população de Floripa.

Atentado ao presidente do Sintrasem

Há 8 dias, na madrugada do sábado (23), a residência pessoal do presidente do sindicato da categoria, Renê Munaro, foi atingida por um artefato explosivo. Renê estava no pátio do CVR no momento do ataque, mas seus familiares estavam em casa.

Repercussão e solidariedade internacional

Com a ocorrencia do atentado, o Acordo Internacional dos Trabalhdores (AcIT), ao qual o DAP é aderente, divulgou uma moção de solidariedade a Rene e aos trabalhadores da Comcap. A moção foi divulgada para todos os países que o AcIT tem relações estabelecidas. Veja a moção em português abaixo

MOÇÃO DE APOIO DO ACORDO INTERNACIONAL DE TRABALHADORES

Caros companheiros,

Soubemos do ataque à residência pessoal do presidente do sindicato da Sintrasem, Renê Munaro, na manhã de sábado, 23 de janeiro. Renê Munaro estava fora de casa por motivos sindicais, mas seus familiares estavam em casa.

Não é por acaso que esse ataque aconteceu quando houve uma greve dos trabalhadores contra o desaparecimento da Comcap.

Em nome do Acordo Internacional dos Trabalhadores e dos Povos, denunciamos este ataque covarde, asseguramos a Renê Munaro, sua família e seu sindicato de toda nossa solidariedade. Já divulgamos este ataque covarde internacionalmente.

Estamos prontos para qualquer iniciativa e ação necessária dependendo da situação.

Receba nossa saudação fraterna.

Coordenadores do AcIT

Louisa Hanoune (Argélia) e Dominique Canut (França)

Com informações do Sintrasem, site O Trabalho e site NSC

user

Diálogo e Ação Petista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: