São Paulo: debate sobre o 6º Congresso

Em 27 de junho, o grupo de base do DAP Paulista convidou para apresentação das resoluções do 6º. Congresso do PT os companheiros João Bravin, delegado pela CNB e Barbara Corrales, do DAP Capital. Bravin iniciou destacando que a unidade realizada nas resoluções políticas neste congresso “é um fato excepcional, reflexo da mobilização dos trabalhadores, que exigiu do PT superar problemas e colocar no centro o Fora Temer e a preparação da Greve Geral, com Lula presidente para fazer uma Constituinte”. Apresentou o Plano Nacional de Emergência do PT e discutiu o papel protagonista do PT na resolução sobre a Frente Brasil Popular “ a frente não pode se sobrepor ao PT e o PT também não pode se esconder na Frente. É o PT que deve apresentar seu programa e seu candidato”. Ao discutir o balanço, pontuou “ a CNB não aceita que houve conciliação de classes, mas isso não nos impediu de fechar chapa com vocês, pois o que contou é o acordo sobre os principais pontos políticos”.
Barbara Corrales explicou no detalhe a única votação feita, sobre a ques­tão das mulheres, na qual a resolução apresentada pela CNB e “Unidade pela Reconstrução do PT”, que combatia a divisão do partido e chamava a unidade dos petistas e das petistas na luta conta opressão da mulher, saiu vitoriosa. Como lembrou Bravin, para isso foi necessário exigir contagem de votos, pois Rui Falcão, que dirigia a mesa, havia declarado – no contraste – como ganhadora a resolução derrotada, que ameaça dividir o partido entre homens e mulheres, cujos interesses seriam opostos.
Ao final, Barbara destacou a defesa dos presos políticos, batalha que o DAP tem como bandeira desde a AP 470, finalizando com convite a todos para estarem no Ato na Quadra dos Bancários que estava previsto no dia 28, para receber o companheiro Vaccari absolvido em segunda instância, da condenação dada por Sérgio Moro.

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.