Diálogo Petista 71

 

CHAMADOS, OS PETISTAS COMPARECEM!

     Prosseguem os atos e debates “em defesa do PT e dos direitos democráticos”, inaugurados em 24 de novembro na abertura do nosso 5º Encontro Nacional, em SP.

     Em várias cidades, o DP organizou ou ajudou a organizá-los, em alguns casos com a presença dos ex-presidentes José Dirceu e José Genoino, em outros com o ex-sindicalista bancário Henrique Pizolatto.

     A partir daí, novas reuniões do Diálogo, agrupando militantes dispostos a defender o partido, seguem se multiplicando, discutindo inclusive o próximo Processo Eleitoral Direto, o PED, num contexto em que a direção se recusa a assumir a luta contra a Ação Penal 470.

 

DP NO RECIFE APÓS “EXPLOSÃO”

DO ATO DO PT

     Dez petistas se reuniram no Recife dia 14, convocados por Márcio Poeta (PT Jaboatão) e Edmilson Menezes (Coordenação Nacional DP). Um fato normal, não fosse uma reação ao fiasco do ato do dia 9, convocado pela Executiva estadual, que não conseguiu comemorar os 33 anos do PT. Mal iniciado, explodiu pela disputa dos caciques que vem da crise da anulação da prévia eleitoral, que derrotou o PT após 12 anos de prefeitura.

 

 

dp71-foto01

     Foi uma frustração para mais de 300 presentes que foram embora.

     O Diálogo Petista participou do Ato (v. foto) distribuindo sua Convocatória e avançou no agrupamento pela defesa do PT com a campanha pela anulação da AP 470.

     Na sua reunião, uma dirigente da CUT indagou “por que a direção do PT não reage, isso repercute nos sindicatos”. Um ex-candidato a vereador questionou “que os que atacam os dirigentes do PT têm muito mais rabo preso que os nossos, por que não reagem?”. A discussão convergiu para a política de alianças que amordaça a própria direção do PT. Mas a conclusão foi de “o DP agir como o PT agia, lançando a campanha pela anulação da AP 470!”.

     Discutiu-se também a construção do PED. Um petista perguntou “se o PT lançasse uma chapa nacional unitária ao PED, não seria a melhor resposta à ofensiva contra o PT?” e, completou, “o DP poderia abrir esta discussão propondo uma chapa com base na defesa do PT e no resgate das bandeiras de fundação, agregando outros setores”. Outros também foram nessa linha.

 

DP CÁCERES (MT)

     5 petistas compareceram a uma reunião para discutir a situação de Cáceres, após a decisão da Executiva estadual manter a expulsão dos quatros secretários do governo de Túlio Fontes (DEM), que não acataram a decisão do PT sair do governo e lançar candidatura própria.

     O DP decidiu propor uma séria de ações na da educação (piso salarial), sobre a água e a terra (desapropriações), como tarefa na região, inclusive ações contra a AP 470. Assim, se prepararia a candidatura própria do PT ao governo em 2014, contra a política de alianças que desmoraliza o PT estadual e municipal.

 

JOÃO PESSOA (PB)

     Em João Pessoa 12 petistas compareceram a reunião. Aberta com a exposição do que é o DP, seguida do Relato da Coordenação, a reunião se concentrou na defesa do PT.

     João Jales (tendência MAIS) disse ter acordo com a defesa do PT e o resgate do Manifesto de Fundação, mas que também é preciso levar em conta os “novos cenários: é preciso disputar a consciência da classe trabalhadora por uma política voltada aos trabalhadores, e isso significa dialogar para dentro do partido, mas também com os movimentos de base”.

     Uma próxima reunião deverá discutir a proposta de chapa nacional ao PED com a presença de um membro da Coordenação Nacional.

 

GOIÂNIA (GO)

     No dia 23 de fevereiro em Goiânia, sindicalistas, professores e dirigentes da CUT de quatro cidades (Goiânia, Catalão, Novo Gama e Valparaíso) discutiram o resultado do 5º Encontro Nacional.

     Eles relataram a situação em suas cidades, com a imposição de coligações com o PMDB, em alguns casos em detrimento de candidatura própria (Catalão).

Uma enfermeira falou do caso hospital de urgência, onde com as OSs os empregados sequer “podem adoecer”, pois perdem o adicional. E prossegue “sou federal [estatutária], eles não mexem, mas com os outros…”. Uma professora da Federal associou os novos processos de privatização da educação e da saúde.

     Um auditor da Saúde lembrou que o governador tucano foi visitar o governador Vagner (PT-BA) para copiar o modelo das OSs, agora usado para chantagear a CUT.

     Ao final, decidiu-se realizar reuniões nas cidades e um ato em defesa do PT.

 

PRAZO GERAL DIA 1º DE ABRIL

     Em Florianópolis (SC), Santos (SP), e Niterói (RJ), petistas também se reuniram ao redor do Diálogo.

     Além das iniciativas contra a AP 470, começam a discutir também a preparação do PED.

     A Coordenação Nacional do DP (v. edição anterior) abriu o debate: “para contribuir com essa discussão propomos abrir no DP, inclusive com outros setores, o debate sobre a viabilidade de uma chapa nacional, em todas as coordenações estaduais, fóruns locais e núcleos  do DP, até a próxima reunião da Coordenação, marcada para 1º de Abril, para a qual se fará um convite mais amplo à representantes saídos das reuniões locais”.

     As reuniões locais serão, assim, o principal elemento para a Coordenação prosseguir a campanha em defesa do PT, como os próximos passos em direção ao PED.

 


RIO DE JANEIRO

     Debates e atos nessa cidade tem tido o apoio decisivo de um grupo de petistas que mantêm um blog (megacidadania) onde defendem a Anulação da AP 470. Alexandre Teixeira nos deu este depoimento:

dp71-foto02

     “É necessário construir
um vetor político e outro técnico. No aspecto técnico já estamos em estágio avançado, mas na questão política, percebemos que ainda perdura o desconhecimento acerca de não existir desvio e nem existir recurso público envolvidos. Neste sentido os eventos que estão ocorrendo podem cumprir a tarefa de difundir a verdade, que a revista Retrato do Brasil apresenta e o livro do Paulo Moreira Leite também.

     Para contribuir, aqui no RJ criamos uma “logo” para caracterizar os “erros do STF” e está funcionando.

     Carecemos de recursos para produzir material de alta qualidade, mas temos tido excelente participação de militância que contribui aguerridamente.

Conseguimos um avanço que é acordar um texto de esclarecimento do que são os erros do STF na AP 470 e, neste momento, negociamos para que seja um documento do diretório do PT-RJ.

     Vislumbramos isso como um passo importante para quebrar a letargia nacional do PT neste tema.

     A iniciativa de vocês em realizar o evento de novembro no Sindicato dos Engenheiros de SP, foi fundamental e proporcionou condições de aqui no RJ realizarmos o evento do dia 30/01 na ABI, com a presença do Zé Dirceu, e o do dia 18/03, com Genoíno.

     Acumulamos força e no evento do dia 25/03 teremos até um magistrado da ativa que fará depoimento contundente contra o julgamento.

     Estamos confiantes em estarmos contribuindo para desmascarar a maior farsa jurídica (golpe político) já ocorrida em nosso país, tendo em vista a massificação midiática.”