Nota do Sindimetro-MG sobre a privatização do metrô de Belo Horizonte

Na última quinta-feira, a população belo-horizontina recebeu um presente de Natal bem amargo do governo Zema. O metrô da capital foi leiloado na Bolsa de Valores de São Paulo e passará a ser gerido durante 30 anos por empresários. Os metroviários fizeram uma greve de 9 dias onde peitaram o judiciário que tentou multar os dirigentes sindicais. Em assembleia, a categoria também aprovou uma carta dirigindo-se à Lula e à equipe de transição na qual destaca que: “Lutamos por novos tempos para a classe trabalhadora e o Presidente Lula em seu discurso na Av. Paulista disse que ‘espera não nos decepcionar’.” Apesar da privatização, a luta por um transporte público estatal seguirá de pé no próximo governo Lula.

Abaixo publicamos a nota da Diretoria do Sindimetro-MG.

Metrô leiloado, presente de Natal para empresários

Diretoria do Sindimetro MG

Depois de muita luta e de greves longas, o metrô de Belo Horizonte foi entregue hoje (22/12/2022), por meio de um leilão na Bolsa de Valores de São Paulo, pela bagatela de R$25.755.111.  A doação de uma empresa avaliada pelo BNDES no valor de mais de 19 milhões é umas das maiores vergonhas do Brasil.

O metrô será gerido por empresários do transporte coletivo rodoviário. Portanto, as maravilhas prometidas com a privatização podem não passar de uma grande ilusão, basta ver como operam o transporte coletivo de passageiro nas grandes cidades. Ônibus lotados, verdadeiras sucatas, atrasos, acidentes, passagens caras, pontos lotados, trânsito um caos… Agora anexaram o metrô.

Quem ficou com o metrô foi o Consorte Participações S.A e será responsável pelo serviço durante 30 anos. Para fazer melhorias os novos patrões privados vão receber de imediato R$ 3,2 bilhões de recursos públicos, da União virá R$ 2,8 bilhões, enquanto o estado de Minas Gerais vai aportar R$ 440 milhões com o dinheiro vindo do acordo firmado com a Vale para reparação dos danos causados pelo rompimento da barragem em Brumadinho. Vejam bem, só dinheiro público sendo irrigado para mãos de empresários, tudo que vem fazendo o governo de Romeu Zema, Partido Novo. O dinheiro da Vale como se vê não vai ser usado para reparar os danos ambientais e econômicos e sim repassados a empresários ensandecidos por lucros.

O metrô de Belo Horizonte vem operando há mais de 30 anos com poucos investimentos, seu funcionamento é garantido sem acidente por funcionários concursados, dedicados e competentes, que fazem de tudo para termos um transporte seguro, quando passar de fato às mãos da iniciativa privada vão fazer o que bem entenderam. Este dinheiro que sai do estado e da União poderia muito bem ser investido em melhorias e expansão do metrô, mas não, eles precisam favorecer seus amiguinhos empresários, afinal de contas foi para isso que Zema gastou milhões para se tornar o governador.

É muito triste para os metroviários e metroviárias este dia, porque eles se prepararam, investiram em cursos para entrar na CBTU e viram hoje em um lance tudo sendo jogado nas mãos de inescrupulosos capitalistas. O atual governo e o que assumirá tem as mãos sujas por esta transação.

A greve está suspensa e os metroviários voltarão às 00h ao trabalho, mas a luta vai continuar porque os empresários que vão assumir também têm muito a explicar, podendo inclusive ficar incapacitados de assumir a empresa que ganharam de Natal. A partir do dia primeiro a diretoria do Sindicato vai se reunião e discutir os próximos passos.

Há de se observar ainda que a Justiça bloqueou todos os bens do Sindicato, inclusive o dinheiro com o qual tem que pagar contas de luz, água, telefone, internet e principalmente seus funcionários.

A categoria continua unida e a luta vai continuar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: