Comitê Nacional do DAP: Vamos virar o jogo!

Em defesa dos Direitos do trabalhadores e da democracia! Toda força na reta final.

Voto 13 por HADDAD Presidente!

O candidato do PT e de Lula, Fernando Haddad, com seus quase 30 milhões de votos, chegou ao 2º turno. O PT elegeu a maior bancada de deputados federais. A conquista desse resultado, para o qual a militância do Diálogo e Ação Petista contribuiu, é uma vitória política.

O PT chega ao segundo turno, numa situação marcada pelo estado de exceção inaugurado no golpe de 2016, que acirrou as perseguições ao nosso partido e encarcerou, numa fraude judiciária, o ex-presidente Lula, para impedi-lo de disputar a eleição como favorito que era em todas as pesquisas. Uma vitória política do PT que é realçada pelo fato de que, diante do profundo sentimento antissistema que existe, com razão, nas camadas populares, os principais partidos da classe dominante ruíram (MDB, PSDB, DEM).

O PT, pela resistência ao golpe, pela luta por manter a candidatura Lula, substituído em 11 de setembro, por Haddad, sai preservado e está no segundo turno. Por isso podemos continuar a afirmar: é possível virar o jogo, é possível vencer.

A extrema direita autoritária explorou, manipulando com notícias falsas, o ódio e beneficiando-se dos ataques ao PT feitos pela grande mídia e os partidos tradicionais, chega ao segundo turno com Bolsonaro, produto mais acabado do sistema amplamente rejeitado pelas amplas massas, apresentando-se como o “novo”, mascarado de candidato antissistema.

lula haddad manu
Lula é Haddad; Haddad é Lula!

Mas o PT, em pé, chega ao segundo turno e pode virar o jogo. Grande contingente das camadas populares votou equivocadamente, enganada, em Bolsonaro, sem a consciência de que ele de fato representa o aprofundamento dos ataques aos direitos democráticos, sociais e trabalhistas.

São duas semanas para disputarmos o voto e barrar o retrocesso.

É voto 13, Haddad presidente! Para barrar a entrega do patrimônio da nação – estatais e serviços públicos – aos interesses do mercado, que financia a campanha de Bolsonaro, para defender a soberania nacional, diante de um farsante que bate continência para a bandeira dos Estados Unidos. É possível derrotar as viúvas da ditadura, os chefes de Igrejas evangélicas e grupelhos fascistóides que estão ao redor de Bolsonaro.

É voto 13, Haddad Presidente, para revogar a contrarreforma trabalhista, a PEC da “morte”, recuperar o Pré-sal, defender a Previdência Pública e avançar novas conquistas!

O caminho da vitória

Mesmo se a situação é difícil, as condições para virar o jogo estão diante de nós. Até 28 de outubro é, olho no olho, no corpo a corpo, conversar com o povo trabalhador, desmascarar o farsante Bolsonaro que como deputado há 28 anos somente votou a favor de todos os ataques aos direitos e à soberania nacional promovidos pelo governo do golpista Temer, o mais impopular da história.

É preciso ganhar os votos indecisos e abstenções, os nulos e brancos do 1º turno e também virar o voto nos locais de trabalho, nas periferias, que não são votos “fascistas” mas sim de gente do povo que foi intoxicada por uma máquina de mentiras, importada da campanha de Trump nos Estados Unidos a peso de ouro (paga por banqueiros e empresários).

Não é momento de atos genéricos, como o #Ele não de 29 de setembro que, manipulado nas redes sociais, consolidou votos em Bolsonaro. É hora de afirmar o candidato do PT, o voto 13, Haddad Presidente e ganhar as amplas parcelas do povo, homens, mulheres, negros, brancos e jovens para unidos, sem cair na armadilha da discussão de “valores” e “moral”, levantar a pauta da maioria oprimida da nação. Sem nenhuma concessão nos direitos dos setores sociais oprimidos, é nas questões concretas que interesse ao povo trabalhador, como o reajuste do salário mínimo, do corte dos gastos da educação, saúde e moradia, além dos direitos trabalhistas, que vamos desmascarar o farsante.

Não há tempo a perder, não há neutralidade possível entre os direitos e a democracia representados pelo voto 13 e o retrocesso, a barbárie e o autoritarismo. Os sindicatos estão chamados a defender os direitos dos trabalhadores, contra a exploração sem freios do capital. Da mesma forma as organizações estudantis e do movimento popular, todos juntos com o voto 13, Haddad presidente, em legítima defesa contra a opressão e a exploração!

Nós do Diálogo e Ação Petista estaremos engajados na luta pela vitória, para construir a unidade em torno do voto 13, trazendo para o nosso lado todos os democratas e, em particular, ajudando a virar o voto do povo iludido pelo farsante. Nosso partido, tem na sua militância a força capaz para disputar e ganhar.

Ainda é tempo; à luta companheiros e companheiras!

À luta, venceremos!

São Paulo, 14 de outubro de 2018

Comitê Nacional do Diálogo e Ação Petista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s