Diálogo Petista 63

CARTA AOS 1700 DELEGADOS AOS CECUTS

Iniciativa de sindicalistas é lançada na marcha de 5 de setembro

Sindicalistas membros do Diálogo Petista tomaram a iniciativa de lançar uma Carta aos 1700 delegados dos Congressos estaduais da CUT (CECUTs) que subscreveram a proposta de “Marcha da CUT em defesa dos trabalhadores e da nação”.

A Carta foi apresentada numa reunião de mais de 60 militantes sindicais que participaram da marcha organizada pela CUT e a CNTE em Brasília, no dia 5 de setembro.

JulioTurra

Bem recebida por todos, cópias da Carta foram solicitadas para divulgação nos estados como instrumento de associação de novos companheiros à preparação do 5º Encontro Nacional do Diálogo Petista de novembro. Nela pode-se ler (trechos com intertítulo da redação): “Estivemos juntos nos CECUTs batalhando pela convocação de uma Marcha a Brasília por uma plataforma que incluía desde o Não à desoneração da contribuição patronal ao INSS até as 40 horas já, passando pela Reforma Agrária, a derrubada dos juros, o controle da remessa de lucros das multinacionais, a centralização do câmbio e o fim do superávit primário, além da anulação da concessão/privatização dos aeroportos.

Por isso, com satisfação, vimos o Congresso Nacional da CUT, em 13 de julho, por unanimidade, decidir convocar: ‘Dia 15 de agosto – Marcha à Brasília com uma plataforma de defesa dos trabalhadores e da nação diante da crise”.

Mas a nova Executiva da CUT decidiu adiar para 5 de setembro e limitar a proposta a um ‘Dia Nacional de Mobilização da CUT, combinado com a marcha da CNTE que reivindica: 10% do PIB para a educação; piso do Magistério, carreira e pela aprovação do PNE’. Por que?

PT da fundação, não da coalizão

Não é segredo que dirigentes da Executiva da CUT são membros do PT onde, na sua maioria, estão entre os que defendem a política do atual ‘governo de coalizão’.

Nós também somos do PT. Mas estamos entre os que defendem as bandeiras da fundação do PT! Não apoiamos medidas como concessões privadas e PPP’s de estradas, ferrovias, portos e aeroportos.

Somos do PT da fundação, e não do PT da coalizão.

• Um verdadeiro partido dos trabalhadores para os trabalhadores; para estabelecer a soberania nacional; um partido livre de coalizões com nossos inimigos; por um governo do PT com setores populares dispostos a avançar contra a dominação imperialista; pela solidariedade internacional.

• Juntem-se a nós no PT para exigir do governo Outra Política de proteção dos trabalhadores e da nação contra a crise;

• Venham ao 5º Encontro Nacional do Diálogo Petista (24 e 25 de novembro, SP), participem deste agrupamento de militantes, sindicalistas e parlamentares de diversas origens que discute como mudar o rumo da situação.”

Assinam a Carta: Julio Turra (executiva nacional da CUT e coordenação do DP); Antonio Battisti (sindicalista, vereador em São José-SC, coordenação do DP); Jacqueline Albuquerque (direção nacional da CUT, PE); João Batista Gomes (direção nacional da CUT, SP); Lourival Lopes (direção nacional da CUT, BA); Aparecida de Oliveira (direção nacional da CUT, MG); Oton Pereira Neves (direção nacional da CUT, DF)


Entrevista: Joseph Bandeira, Juazeiro (BA)

Joseph Bandeira, escolhido pelo Encontro Municipal como candidato do PT à prefeitura de Juazeiro (BA), fala da situação depois que a cúpula partidária decidiu cassar sua candidatura para que o partido apoie a reeleição do atual
prefeito, do PCdoB. Entrevista a Lourival Lopes

JosephBandeira

A que você atribuiu essa atitude da direção, contra a decisão da base?

Perda de rumo de certos setores da direção não só na Bahia, mas a nível nacional. Aqui mesmo, seguindo todos os procedimentos, resoluções do PT e orientações do próprio Diretório Estadual, onde o calendário foi estabelecido e houve os encontros democráticos, discussão de teses, passando pela escolha de delegados e definição de candidatura e Convenção.

Os dirigentes de Juazeiro, o candidato Joseph Bandeira e a presidente Josimeire recebem severas punições e intervenções da direção estadual, por seguir as determinações da maioria, do Diretório, da Executiva, dos delegados e
filiados em ter candidatura própria.

Como está a situação depois dessa ação da direção?

Os artistas, os jovens e o povo em geral assistem indignados a “via sacra” percorrida por nossa coligação, contra as barricadas, ataques e tentativas de destruir um projeto que nasceu de um parto natural, em que a democracia é a mãe e o povo é o pai. Esse projeto não pode ser destruído por quem nunca sonhou os nossos sonhos, o povo de Juazeiro é quem tem o poder de decidir, pois as bases valem mais que as cúpulas e esse grito já foi ouvido na “Marcha pela Democracia”, contra a ditadura, a truculência e pela soberania. Onde mais de dez mil pessoas, entre jovens, trabalhadores, artistas e o povo em geral ganharam a Avenida Adolfo Viana e soltaram o grito na garganta, pedindo eleições limpas e reafirmando que Juazeiro não se rende e não se vende. Fato que se repetiu, ainda com mais ênfase, no dia 07 de setembro. Minha candidatura segue viva nas ruas.

Como você vê a proposta da realização do 5º encontro do Diálogo Petista?

Considero importante a realização do Encontro, pois é preciso discutir essas situações que não podem continuar, pois ameaçam a existência do Partido.

Desde 1989, fui o único prefeito nos mais de quatrocentos municípios a apoiar a candidatura do PT, numa época em que o Carlismo imperava em mais de 90% da Bahia.


A proposta do 5º Encontro, lançada pela Coordenação Nacional do Diálogo Petista, já conta com a adesão de 55 candidatos

Candidatos a vereador:

José Jadson, Maceió (AL); Paulo Mota, Julio Rocha e Silvino Santos, Salvador (BA); Zito do Queijo Itabuna (BA); Josafá Mota, Juazeiro (BA); Verônica Gomes, João Dourado (BA); Pedro Melo, Cruz das Almas (BA); vereador Prof. Hélio, Márcia Oliveira e Rômulo Jerri, Russas (CE); vereador Beto Cupollilo, Juiz de Fora (MG); Prof. Eliel, Cáceres (MT); Robinson Cireia; Lusinéia Bispo, Cuiabá (MT); Flávio Eduardo (Fuba), Idevaldo Barbosa e Pedro de Souza, João Pessoa (PB); Carlos Eduardo (Cacá), Recife (PE); Walter Lins, Marcio Marcos de Moraes, Jaboatão (PE); vereador Fábio Barros, Paulista (PE); vereador Paulo Feliciano, Lagoa de Iatenga (PE); Otavio Zucon (Bob), Campo Largo (PR); André Machado Curitiba (PR); vereador Aparecido Bianco, Alfredo Perez, Gerson Andrade, Diego de Miranda e Cida do Bom Pastor, Sarandi (PR); Márcia do PT, Miracema (RJ); Denise Goulart, Estrela (RS); Luiz Henrique Becker, Portão (RS); Luzia Cabreira, Florianópolis (SC); vereador Battisti, São José (SC); Osvaldo de França, Joinville (SC); Rogério Fernandes, Guarulhos (SP); Rodrigo Valverde e Paulo Reis, Mogi das Cruzes (SP); Ulysses de Matos, Andre Dunque, Fernando Matos, José Donizete Ferreira, Raquel Fogaça, Ribeirão Preto (SP); Lucas Carneiro, Barretos (SP); Ricardo Jarrinha, São Cateno do Sul (SP); Chico da Farmácia, Reinaldo César, São Carlos (SP); vereadora Juliana Cardoso, Romel Gimenes, Maria Natividade, Jefferson Silva e José Augusto Ferreira (Guto), Adalberto, São Paulo (SP), Alessandro Rodrigues, Sumaré (SP); vereador Raimundo C. Fausto (Capá) Francisco Morato (SP).

 Candidatos a prefeito e vice:

Marcus Gilberto Schuh, candidato a prefeito, Portão (RS);

Maria Inês Vicentini, candidata à vice-prefeita, Sarandi (PR)