Petroleiros do Paraná: a Petrobras e o pré-sal pertencem ao povo brasileiro

Mais de 100 pessoas lotaram na terça-feira o plenário da Câmara Municipal de Araucária, na região metropolitana de Curitiba, em audiência pública em defesa da Petrobras e do pré-sal. Araucária é sede de uma importante refinaria da Petrobras.

Participaram da audiência o Sindipetro PR/SC, o Sindiquímica e o Sidimont (que representa os trabalhadores terceirizados da refinaria), além do Sismmar e da APP-Sindicato (representantes dos educadores do município de Araucária e do estado do Paraná, respectivamente). Dois vereadores de Araucária, inclusive o presidente da Câmara, um deputado e uma vereadora de Curitiba (ambos do PT) também estiveram presentes, assim como diversas entidades.

Os presentes decidiram participar da manifestação de 20 de agosto, em defesa dos direitos dos trabalhadores, da democracia e contra o golpismo.

Por iniciativa do Diálogo e Ação Petista, foi aprovada uma carta em defesa da Petrobras e do pré-sal, que será encaminhada ao conjunto dos vereadores (leia abaixo).


Defender a Petrobrás é defender Araucária!

A Petrobras é um patrimônio de inestimável valor econômico e social ao povo brasileiro. Fruto da grande campanha cívica “O petróleo é nosso”, da década de 50, ela afirmou-se como uma das maiores e mais qualificadas empresa petrolífera do mundo.

Como brasileiros defendemos a Petrobras. Não aceitamos que a pretexto de combater a corrupção, fruto das investigações da operação Lava Jato, se proponha o encolhimento de investimentos na empresa e a venda de ativos ou parte do controle acionário de suas subsidiárias como BR Distribuidora e a Petrobrás Transporte – TRANSPETRO.

Ao mesmo tempo, rejeitamos o fim da Lei de Partilha (12.351/2010), que criou regras para a exploração do pré-sal, dando à Petrobras a condição de operadora única destas reservas e sua participação mínima de 30% nos campos licitados. É a regra de partilha que cria o Fundo Soberano para investimentos sociais em saúde, educação, reforma agrária, energias alternativas para que substituir o petróleo quando ele se esgotar, etc. Voltar ao regime de concessões às multinacionais privadas seria retirar do povo a garantia de que a riqueza produzida pelo pré-sal seja revertida em favor dos brasileiros.

Nós sabemos o quanto a Petrobras, suas unidades operacionais Refinaria Presidente Getúlio Vargas e a Fábrica de Fertilizantes FAFEN-PR, no Paraná são importantes para o desenvolvimento regional, e por isso, a Câmara Municipal de Araucária se soma nesta defesa, por entender que “Defender a Petrobras é Defender o Brasil”, defender a Petrobrás é defender Araucária.