SP: integrantes do DAP divulgam apoio a Tatto prefeito

Devido à pandemia, a escolha do candidato a prefeito do PT na capital paulista será discutida em Encontro Municipal virtual no próximo final de semana, 15 e 16 de maio. Integrantes do DAP da capital divulgaram carta em apoio ao pré-candidato Jilmar Tatto. Leia abaixo a carta divulgada.

cartaz do 20o. Encontro Municipal do PT São Paulo

São Paulo, 09 de maio de 2020.

Apoio e voto no companheiro Jilmar Tatto

Por integrantes do Diálogo e Ação Petista

Companheiro Jilmar,

Agradecemos sua carta com as propostas e pedido de voto na sua candidatura. Mantendo o diálogo que se iniciou na reunião com o DAP, ao longo da campanha, avançamos em propostas, integradas à sua plataforma, e julgamos positivo que o tenha feito. Assim, com essa plataforma, você tem o nosso apoio e chamaremos o voto dos delegados à sua candidatura, no 20º Encontro Municipal do PT para Definição de Candidaturas, nos dias 15 e 16 de maio e que decidirá o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo nas próximas eleições.

Companheiro, vamos entrar em campanha num momento muito difícil. Uma tragédia se abateu sobre os povos no mundo. Mesmo se ela apresenta diferentes contornos e formas em diferentes lugares, algo é comum: o sistema capitalista, patrocinador da destruição da saúde pública e das condições de vida, anterior à pandemia, e que são determinantes para entender a catástrofe que se desenvolve.
Em São Paulo, na base dessa pirâmide de horror, encontra-se o povo trabalhador das periferias, onde o PT pode e deve estar, hoje, na linha de frente das exigências aos governos Doria e Covas de medidas que possam diminuir o sofrimento e as mortes dessa população.

O PT deve lançar uma campanha imediata pela requisição de 100% dos leitos privados para salvar vidas, recuperação e reabertura imediata do Hospital Sorocabana, assim como outros hospitais que estão fechados, aplicação de testes para detectar vírus, distribuição massiva de máscaras de proteção, 1 milhão de cestas básicas e produtos de higiene para o povo até que acabe a pandemia, assim como garantir o abastecimento de botijões de gás, assistência às famílias das vítimas da covid19, instalação urgente de centros de isolamento e acolhimento na periferia para as pessoas que forem contaminadas. Um pedido dos trabalhadores da Cultura, que sem trabalho, em razão do distanciamento social, perderam sua fonte de renda é antecipar as verbas futuras, que posteriormente seriam compensadas com apresentações, em escolas públicas ou outros locais.

Em sua carta você assume um compromisso: “minha prioridade é o povo, que sofre de maneira aguda os efeitos da pandemia. Precisamos de um programa que inverta as prioridades, que coloque as periferias no centro de sua atividade, que defenda os serviços públicos, em particular a saúde”. “Em relação ao funcionalismo público, quero ouvir os trabalhadores e estudar o problema da reforma da previdência municipal que a bancada do PT enfrentou na Câmara. Afirmo que a gestão do PT deve valorizar o servidor público, seja em sua carreira, seja discutindo com a categoria a revisão da atual política salarial. Meu compromisso é o reforço do serviço público, abrindo concursos e convocando as pessoas que já foram aprovadas”.

Sim, é verdade, e para ter dinheiro para investir nas periferias um governo do PT precisa inverter a estrutura de arrecadação onde os ricos pouco contribuem. Os ricos precisam ser taxados. Somos pela revisão de isenções fiscais que favorecem bancos, grandes empresas (ISS) e pelo combate à sonegação. Uma gestão petista deve ampliar a progressão do IPTU. Colocar um fim à uma política que privilegia o pagamento da dívida em detrimentos das necessidades do povo. Nosso governo, eleito, deve retomar a discussão de propostas de renegociação, com auditorias, revisão dos juros e medidas que revertam a pilhagem dos cofres públicos.

No plano nacional, é urgente colocar um fim ao governo Bolsonaro, que, com sua política, seja sanitária ou econômica é uma ameaça a vida das pessoas.
Discutir a necessidade de financiamento das ações contra a pandemia, recuperação dos serviços públicos destruídos por esses governos, em SP, Covas e Doria, contratação de pessoal na saúde e na assistência social, saneamento básico, urbanização nas periferias, construção de casas populares e outras demandas. Enfrentar um debate na sociedade de onde virão os recursos necessários para essas ações é parte da discussão de plataforma nacional que faria diferença na nossa cidade para enfrentar a pandemia. Como dizemos no texto nacional do DAP “O Brasil que tem Reservas de US$ 340 bilhões, deve utilizá-las para as medidas sanitárias e econômicas necessárias”. Outra política tributária que leve em conta a taxação das grandes fortunas. Que cobre dos ricos, dos banqueiros e dos grandes empresários os impostos necessários para aplicação dessas medidas.
Consideramos que sua candidatura, em sintonia com essas propostas, e a unidade do partido em torno delas, farão a diferença, levando a uma campanha vitoriosa que coloque à frente da prefeitura de São Paulo um governo encabeçado pelo PT.

Assinam:

  • Adilson de Sousa, DZ Brasilândia e Freguesia;
  • Alani Stefania Widniczek, Butantã;
  • Alexandre Carrasco, DZ Perdizes;
  • Alexandre Linares, DZ Mooca;
  • Anderson Clayton Rosa, DZ Brasilândia;
  • Bárbara Corrales (Babi), Diretório Municipal São Paulo,
  • Carlitos Pires, DZ Campo Limpo;
  • Edilene de Cassia Z F Ribeiro, DZ Vila Matilde,
  • Ginio Igor, DZ Pirituba;
  • Henrique Ollitta, Diretório Estadual do PT-SP;
  • Luana Vieira, DZ Guaianazes;
  • João Batista Gomes, DZ Vila Maria;
  • Manoel Pereira, DZ Guaianazes;
  • Maria Emilia Sedeh Boito (Misa), Diretório Estadual do PT-SP;
  • Markus Sokol, Diretório Nacional;
  • Osvaldo T. Schiavinato, DZ Centro;
  • Pascoalina Souza Silva (Lili), DZ Brasilândia;
  • Ramatis Jacino, DZ São Miguel Paulista;
  • Sabrina Teixeira, DZ Butantã;
  • Salete Moraes, DZ Vila Prudente;
  • Vlamir Lima, DZ Vila Maria;
  • Zilá Prestes Pra Baldi, DZ Tucuruvi.

Carta enviado pelo pré-candidato Jilmar Tatto ao DAP da capital paulista

Quero, sim, como disse na reunião, discutir uma proposta em minha campanha para que São Paulo volte a ter uma empresa pública de transporte coletivo. E debater uma proposta, já aplicada em grandes cidades do mundo, que é a tarifa zero no transporte coletivo.

Caros companheiros do DAP,

Há cerca de dois meses, estive em uma reunião com vocês para apresentar a minha candidatura. Hoje, com as prévias suspensas em função da pandemia, venho aqui pedir o seu voto no dia 16 de maio. (*)

Apresento o meu nome, reiterando o que já disse: quero ser o candidato do PT em São Paulo para enfrentar o governo Bolsonaro e suas medidas, assim como para barrar o desmonte da cidade – mais visível do que nunca nestes tempos de Covid-19, que desnudaram os efeitos dos cortes nos serviços públicos. Como disse em meu texto de apresentação: “O isolamento, a fome, o desemprego e a falta de assistência provaram o que o PT tem afirmado nesses 40 anos: a agenda neoliberal de Estado mínimo não socorre o povo quando ele mais precisa. Por isso, é relevante pontuarmos que a agenda neoliberal que promove o abandono do povo – essência da necropolítica de Jair Bolsonaro – é a mesma que orienta os governos de Doria e Bruno Covas”.

E o PT precisa de um candidato, em São Paulo, com um programa político e uma plataforma que arme e anime a militância para enfrentar a profunda crise social e política do país. É preciso colocar o nosso partido, aqui na capital, no combate pelo fim do governo Bolsonaro, oferecendo ao povo uma saída que limpe a nação de alto a baixo do golpismo e dos saqueadores do país. E que aponte saídas para a catástrofe que se anuncia nas nossas periferias, onde mora a maior parte da nossa militância e a nossa base social.

Por isso, mais do que nunca, minha prioridade é o povo, que sofre de maneira aguda os efeitos da pandemia. Precisamos de um programa que inverta as prioridades, que coloque as periferias no centro de sua atividade, que defenda os serviços públicos, em particular a saúde. E repito aqui o que disse em nossa reunião: no meu governo, não haverá lugar para terceirizações nem para a transferência do que é público para Organizações Sociais.

Em relação ao funcionalismo público, quero ouvir os trabalhadores e estudar o problema da reforma da previdência municipal que a bancada do PT enfrentou na Câmara. Afirmo que a gestão do PT deve valorizar o servidor público, seja em sua carreira, seja discutindo com a categoria a revisão da atual política salarial. Meu compromisso é o reforço do serviço público, abrindo concursos e convocando as pessoas que já foram aprovadas.

Na segurança pública, não tenho dúvida de que é necessário dar voz de comando aos direitos humanos e proteger a população.

Fui secretário de Transportes. Fiz parte das gestões que criaram o Bilhete Único, corredores de ônibus e outras iniciativas de porte que mudaram a cidade. Quero, sim, como disse na reunião, discutir uma proposta em minha campanha para que São Paulo volte a ter uma empresa pública de transporte coletivo. E debater uma proposta, já aplicada em grandes cidades do mundo, que é a tarifa zero no transporte coletivo.

Tenho um compromisso com os movimentos de moradia e suas lutas, e quero deixar claro que vou usar o meu posto para barrar as reintegrações e garantir a posse dos imóveis que estiverem sob a responsabilidade do poder municipal.

Por isso, peço o seu voto, para enfrentar a política de desmonte de Bruno Covas e Doria, que hoje estão vestidos de oposição, mas aplicam a mesma política de cortes, privatizadora e autoritária do presidente Bolsonaro. Precisamos desmascarar isso em nossa campanha.

Jilmar Tatto

2 comentários em “SP: integrantes do DAP divulgam apoio a Tatto prefeito

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: