Defender o ENEM

Defender o ENEM. O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) foi uma das mais importantes políticas de democratização do acesso ao ensino superior. O ENEM:

  • reduziu custos de inscrição;
  • aumentou a ocupação das vagas;
  • nacionalizou o currículo (tirou das Universidades Federais aquelas obras regionais – às vezes obscuras) e
  • diminuiu a “decoreba” dos vestibulares tradicionais, valorizando a leitura e interpretação de textos.

Outro fator é o deslocamento de jovens para estudar em cidades e Estados diferentes. Isso é uma ajuda ao amadurecimento e crescimento pessoal do estudante.

Além disso, a luta dos estudantes universitários durante os governos do PT ampliou muito a grana para assistência estudantil das universidades federais (moradias, restaurantes universitários e bolsas de auxílio). O ENEM amplia o acesso e a assistência estudantil amplia a permanência do estudante pobre até o fim do curso.

Ministra Damares é o “teatro da polêmica”

A ministra Damares, é “o teatro da polêmica” e do entretenimento dos meios de comunicação. Ela serve ao governo Bolsonaro como uma cortina de fumaça para esconder os fatos importantes: a equipe econômica aponta para cortes nos recursos para as universidades.

Agora os estudantes podem ser obrigados a fazer um retorno a um passado retrógrado, de vestibulares dispersos e caros, currículos regionais excludentes e despesas para viagens.

É necessário defender essa política pública. Ameaçar o Enem é restringir o acesso ao estudo no ensino superior de milhões de jovens.

Alexandre Linares,
professor e militante do PT no bairro da Mooca (São Paulo).


Exame evolui desde a criação e amplia oportunidades na educação superior

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: